29 outubro, 2008

vazamento...

Às vezes vazam
Um sonho, um símio, um signo.

Às vezes vazam
5 réguas, 6 relógios, 7 Membranas, uma dúzia de ovos, 4 colheres de fermento...

Às vezes vaza
visto que é prudente continuar o fluxo.

Às vezes vazam
um retalho, um dente de alho, o caralho!

Às vezes vazam
Gafes e gafes e gafes e gafes... isso sem falar nos atos falhos...

Às vezes vaza
uma pista, uma conquista ou uma novela na TV.

Às vezes vazam
3 microjoules de missô shiro moído na hora.

Às vezes vaza
quando eu era criança, eu recebi em casa umas fotos da NASA!

Às vezes vaza
a gota de orvalho no fio do bigode da navalha de adamantium.

Às vezes vazam
Um vaso, um vazio e uma vastidão.

Às vezes vaza
uma lágrima no olhar, um pingado no bar e um banho de luar.

Às vezes vaza
da sandália que dá bolha no pé, o dinheiro pra comprar o filé.

Às vezes vazam
O troco errado, o cabelo bagunçado e o ouvido estourado.

Às vezes vazam
Da jaula o leão, da gaiola um pedaço de pão e do xadrez o peão.

Às vezes vazam
o locutor do sambar, o amarelo e o ruído do mar.

Às vezes vaza,
em progressão geométrica, a metamorfose sintética.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!