29 janeiro, 2009

enquanto isso, em algum atelier/estúdio/casa



Uma nova coleção de camisetas pintadas a mão está sendo preparada.
Em breve postarei imagens delas.

.

desdobramento temporal

Quem já viu as séries 'A Family Guy' e 'Lost' vai entender:
o Stewie Griffin é o Ben Linus quando criança.
Tenho certeza!




.

24 janeiro, 2009

cantinho da poesia sonora virtual apresenta: O DOCE

Esta trilha a seguir é uma poesia, de influências dadaísta-randômico-digitais, ou uma música de um minuto, feita por mim mesmo.

XTrobo - O Doce.

23 janeiro, 2009

so last week I

Prototypes - synthetique.
Adoro esta musique.
Não vá atrás de outros trabalhos da banda.
One hit wonder!

12 janeiro, 2009

almost a hai kai

.
a carpa singra seu sangue congelado,
concreto protendido à velocidade da luz.
a miragem de importâncias anônimas.

.

10 janeiro, 2009

08 janeiro, 2009

07 janeiro, 2009

gift from a lost island

Ganhei este presente hoje.
Trazido especialmente por uma amiga, de uma das instalações secretas do Dharma Iniciative.



esclarecimentos sazonais necessários sobre este blog

Tenho usado este espaço do blog quase que integralmente para postar imagens.
E a maioria destas imagens são trabalhos meus, inteiros ou recortes. Faço isso sem a obrigação de seguir um conceito que amarre todos, mudando disléxica e propositalmente de assunto todo dia.
Escrevo pouco. Até domino (modéstia!!!) razoavelmente a palavra escrita, mas a linguagem que me sinto realmente confortável é a linguagem gráfica, imagética.
Também não costumo publicar trabalhos mais complexos, aqueles que são agrupados por um conceito hermético, e que dependem de bibliografias e textos reflexivos sobre eles para uma fruição mais tranquila. Desenvolvo essas séries em outros momentos do meu trabalho artístico, instalações, pinturas, vídeos e performances, que costumam ter tamanhos mais amplos, quase sempre ligados a uma discussão espacial.
Mas esses trabalhos também existem, claro. E a melhor forma de conhecê-los é presencialmente. (Estão todos convidados, caso isso não tenha ficado claro).
Este blog que você visita agora é um espaço virtual onde abro pequenas janelas, diariamente, como quem convida o mundo (público) para tentar observar um pouco da minha intimidade. (Isso me faz lembrar muito os domínios de Despair, uma dos sete Perpétuos, irmã de Sandman, criados por Neil Gaiman.)
É uma possibilidade de levar as pessoas a entenderem uma história (obviamente não linear) em construção, de maneira livre e aberta a novas interpretações.
Nesse balizamento do entendimento do leitor/visitante tento intervir o mais abertamente possível, mas agora estou revendo essa idéia. Pelo fato de que essa abertura pode significar um vazio difícil de ser preenchido pelo leitor. E acaba não gerando nenhuma nova informação para ele.

Para finalizar, os comentários. Tão raros neste espaço.
E uma das características deste meio hipertextual, além da não linearidade, é a possibilidade de interação.
Senão vejamos: eu saio por aí, deixando meus trabalhos em muros da cidade ou mostrando meu portfólio pessoa por pessoa. Ainda que preservando o caráter independente, tão caro para mim, comentários ou críticas perdem-se no ar, neste caso.
Aqui no blog, a possibilidade de interação com o autor é menos inercial. Torna vivo, ainda que virtualmente, um canal de comunicação tão interessante que pode até mudar os rumos dos meus trabalhos.
O visitante pode experimentar a sua participação numa obra aberta, bem à Humberto Eco mesmo. E é isso que eu acho fantástico nesse meio blogosférico.

Aguardo sua interatividade!

05 janeiro, 2009

contundências

As casas do meu país são mal construídas. E as ruas, t(p)ort(c)as.
A arquitetura é empilhamento de módulos.
A comida é mal feita e a bebida não é potável.
O design não é pensado.
As artes são copiadas.
Os desenhos são garatujas e as pinturas borrões.
A música é over-temperada, para agradar um gosto sintético.
A moda é cafona e as roupas mal acabadas.
O trabalho é folga. Quando não, feriado.
A leitura é cega.
A TV é dona.
O teatro é de 'faz de conta'.
O cinema é uma imagem sem movimento.
O ensino é esquecido.
A saúde é doente.
A história é mentira.
Os ricos são mal informados.
Os pobres são ficção, sobre a qual se faz poesia viciada em sucesso.
E as pessoas são 'peçoas'.





..