22 março, 2009

Pianos


Depois de alguma demora, consegui baixar o filme "The 5.000 Fingers of Dr. T." (R. Rowland, E.U.A., 1953).
Me lembro de assistir pela primeira vez quando estava no primeiro ano da graduação.
Este musical infantil é literalmente onírico, com cores muito divertidas por serem tão saturadas. Fantasioso e romântico, combina com sessão da tarde desencanada, ou fim de domingo em repouso.
Os cenários me lembraram muito a assepsia (orçamento baixo?) dos cenários de Metropolis, do Fritz Lang.
Mas confesso que estava com vontade mesmo era de ver o piano para 5 mil dedinhos. Monumental. Forma serpenteante. Absurdamente impossível.
O protagonista, Bart, me fez perguntar se o Bart Simpson teria alguma relação com ele. O chapeuzinho com uma mão amarela que o Bart do filme usa não teria inspirado o Matt Groening na criação de seu personagem énfant terrible?
Me surpreendi com a gigantesca escada marinheiro vermelha em que o Bart foge dos guardas. Ao chegar ao fim da escada que levava ao nada, ele salta usando sua camiseta como um para-quedas.




E como o assunto é piano...
fico de cabeça virada com o trabalho do PianOrquestra.
Sob a direção artística de Cláudio Dauelsberg, o quinteto usa o instrumento de formas não convencionais, libertando a vontade de pensar de forma criativa sobre objetos banais.
(Fique atento para a parte em que é 'citado' um trecho da música 'Take on me', do A-ha.)


PianOrquestra - Lucy in the Sky with Diamonds

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!